Apresentação

“Compreender o mal não o cura, mas, sem dúvida alguma, ajuda. Afinal, é muito mais fácil lidar com uma dificuldade compreensível que com uma escuridão incompreensível.” – Carl Jung.

Olá.
Seja bem vindo(a).
Espero que goste.
Luz, Paz e Alegria sempre.

Elizabeth.

quinta-feira, 17 de abril de 2014




Boa noite.

Toda Páscoa fico muito reflexiva, sinto que é um período de recolhimento, meditação e observação.

Lembro de quando sintonizei a essência floral Quaresmeira Roxa, do Sistema floral Beija-flor.

Aconteceu no domingo de Páscoa, a árvore estava exuberante com uma intensa e bela floração, para alcançá-la tive que caminhar por um mar de flores do tipo Beijo, o que me despertou a atenção.

A essência floral Beijo atua nas sensações como ansiedade, agitação, impaciência, angústia. Percebi então que para conectar com a energia da Quaresmeira é preciso ter paciência para se escutar e estar consigo mesmo. Poder se entregar ao silêncio interior e acolher o que se esconde atrás da superfície.

A Quaresmeira Roxa é  um símbolo de beleza e abnegação, refletindo a energia do amor incondicional. Traz autocompaixão, desapego, força e vitalidade para transmutar antigos padrões de pensamento e conduta, afim de que novos padrões surjam.

A árvore possui o poder de proteger contra raios, sendo na mitologia irlandesa considerada morada de duendes. Segundo a mitologia teutônica, a primeira mulher sobre a Terra foi criada de uma quaresmeira (chamada olmo no hemisfério norte) pelos deuses.

A cor roxa de suas flores (
do sétimo raio - transmutação das energias do passado) simboliza a Paixão de Cristo, a morte e o renascimento.  


É uma planta sagrada regida pela energia de Nanã Buruquê, a grande avó, a Ela invocamos quando precisamos nos auto-perdoar e nos libertar do passado. 


Para os povos jêje, da região do antigo Daomé, Nanã significa mãe,a grande Mãe da sabedoria.

Sua essência floral deve ser usada para a dificuldade em se auto-perdoar e se libertar do passado. Deixar morrer e renascer. Representa o colo que aconchega acolhendo amorosamente nossas dores para nos ajudar a transformá-las com sabedoria.

É de grande auxílio sempre que a pessoa estiver buscando mudanças profundas em sua vida. Em momentos de crise emocional, física e/ou espiritual, quando nada parece ter sentido. Pode ser utilizada inclusive como potencializadora do efeito de outras essências florais.

Na quaresma, segundo a tradição católica, acontece um chamado à conversão e a renovação de cada ser humano. A Graça Divina está em sua plenitude neste tempo.

A recordação da Paixão de Jesus, sua morte e ressurreição é uma forte energia presente no inconsciente da humanidade e nos conclama a morrer e renascer em tudo aquilo que nos faz sofrer e nos aparta da paz, do amor, da saúde e da felicidade.

Neste período podemos experimentar o milagre da ressurreição, da criação de uma nova vida, onde valores espirituais se tornam mais evidentes.

Devemos deixar morrer o velho, aceitar esta morte e renascer. O difícil é que somos muito apegados ao cotidiano, acostumados ao que conhecemos, preguiçosos e tementes frente a aventura da auto-descoberta.

Podemos inclusive adoecer diante da necessidade de nossa Alma de crescer e se expandir. Surgem então as depressões, as crises de pânico, as doenças psicossomáticas.

O corpo interpreta a morte energética, emocional e espiritual de valores e crenças como algo físico, é a briga do EGO com o Eu Superior.

A essência floral Quaresmeira Roxa desperta a sabedoria dos ancestrais e favorece e o surgimento de um novo ser, através da consciência dos conteúdos internos. 


Sacrifício, desapego, morte, renascimento... Um ciclo termina para outro começar, assim funciona o Universo.

E o mais importante, quando nos entregamos ao processo sacrificando uma parte de nós e aceitamos morrer para renascer percebemos que nesta nova vida, as dores, os traumas e medos ficam no passado, não tendo mais importância no Agora.

Desejo a todos vocês a coragem para viver a energia da Quaresmeira Roxa que renasce todos os anos, nos abençoando com a força do auto-perdão, do amor incondicional e principalmente com o resgate da nossa Fé.


Feliz Páscoa!

quarta-feira, 16 de abril de 2014

O cavalheirismo está em falta?



Está faltando cavalheirismo, gentileza e atenção, nos dias de hoje?

Pelo menos é uma das maiores queixas das mulheres.


Sou de uma geração onde o namoro, a conquista era permeada de pequenas e constantes gentilezas.


Um telefonema de bom dia, rosas, abrir a porta do carro, segurar sua sacola pesada, mimos e delicadezas.


Convites para jantares românticos, dançar de rostinho colado, coisas que deixavam um gosto de quero mais.


Hoje parece que o telefone se tornou obsoleto,mas é tão bom ouvir a voz de quem você gosta. 


Eu detesto torpedos, acho impessoal, um subterfúgio. 


Nem respondo, quer falar comigo? Telefone. 


A INTERNET pode aproximar mas também afastar.


Te admito, te excluo, pronto.


No consultório interajo com homens e mulheres com a mesma queixa: solidão, dificuldade de encontrar um parceiro amoroso.


Parece que estamos vivendo um impasse de falta de comunicação, mas este é um assunto para outra conversa. 


Acho que é preciso rever os papéis feminino e masculino.


Lembrando que gentileza é bilateral e que uma relação é via de mão dupla.


Ninguém se relaciona sozinho.


Algumas concessões podem e devem ser feitas, mas nunca em detrimento da auto-estima e do respeito.


Se aceitamos menos do que merecemos estamos passando uma mensagem de menos valia, e o pior reforçando no outro um comportamento inadequado.


Mas fica a pergunta.


Será que um homem educado, cavalheiro já nasce pronto?