Apresentação

“Compreender o mal não o cura, mas, sem dúvida alguma, ajuda. Afinal, é muito mais fácil lidar com uma dificuldade compreensível que com uma escuridão incompreensível.” – Carl Jung.

Olá.
Seja bem vindo(a).
Espero que goste.
Luz, Paz e Alegria sempre.

Elizabeth.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

O que é Aromacologia?


"Tudo o que é verdadeiro deve se transformar e somente o que se transforma permanece verdadeiro.”
Carl G. Jung

Chamamos de Aromaterapia a terapia ou tratamento que utiliza os óleos essenciais extraídos de quase todas as plantas medicinais. Cada vez que esmagamos a pétala de uma flor, uma folha, um ramo ou qualquer parte de uma planta e ela exala um perfume, significa que houve a liberação de um óleo essencial. Estes óleos são muito voláteis (evaporam rapidamente no ar), inflamáveis, solúveis em álcool e óleo, nunca na água, por isso transmitem aroma.

Sua composição é complexa, não sendo simplesmente a soma de seus componentes ativos, mas um conjunto energético, ainda impossível de ser sintetizado. Daí a grande diferença entre óleos naturais e os sintéticos.

Eles contêm o poder curativo da planta e atuam de modo eficaz no corpo, na mente e na alma. Variam em função da qualidade do solo onde a planta nasce, do processo de colheita, da extração e da conservação.


Cada planta tem seu peculiar perfume, pois o óleo essencial representa sua personalidade, expressando suas características, embora cada família botânica apresente qualidades específicas.

O olfato é o sentido mais primitivo, porém muito especializado, sendo o nariz o ponto de contato entre o cérebro e o ambiente que nos cerca.

Em 1992 o Fundo de Pesquisa Olfatória de New York (EUA) definiu Aromacologia como o “Estudo das inter-relações entre psicologia e aromaterapia para analisar e revelar a variedade de emoções e sensações específicas despertadas pelos odores através da estimulação das vias olfatórias cerebrais”.

E iniciou uma grande pesquisa sobre o assunto sinalizando, até o momento, algumas conclusões:

- são cerca de 100 milhões de células nervosas olfativas bipolares, derivadas originalmente do sistema nervoso central, podendo receber e classificar 10 mil cheiros diferentes;

- o cérebro, quando estimulado por determinados aromas, libera substâncias neuroquímicas que atuam de forma diferenciada sobre nossas atitudes, humores e condições físicas, trazendo sensações como prazer, relaxamento, calma, euforia, bem estar, acolhimento;


- a aromatização de ambientes favorece a harmonização de emoções e facilita o bem-estar. Sugestões:

Banheiro – Eucalipto (higienizante, antiviral), pinho (anti-séptico).Sala – Lavanda (relaxante, antidepressivo), Laranja (antidepressivo,
energizante).


Quarto – Ylang-ylang (anti-hipertensivo, antidepressivo, afrodisíaco), Sândalo (antidepressivo, anti-stress, harmonizador das emoções).


Sala de estudos – Limão, Alecrim e Lavanda (para favorecer a concentração e estudos).

Boas Festas!
 

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

"O COITADO DE MIM"

 
O vitimismo ou vitimização é a negação da capacidade humana de se relacionar.

Nossa postura na vida está diretamente ligada às relações sociais e afetivas, ou seja, o que somos e como nos relacionamos com os outros, família, trabalho, amigos, colegas, sociedade...

Sentir-se vítima é sentir-se esmagada pela realidade, ver o mundo como algoz ou um céu nublado com ameaça de chuva.

Entender a realidade de forma obliterada, escura, conectando-se mais com a Sombra do que com a Luz.

Sentir-se incapaz de encontrar um caminho para as soluções, andar em círculos e por conta desta falta de foco transferir para o outro, para as circunstâncias, para a Vida a responsabilidade de seus problemas.

Aliás, a vítima é perita em justificativas, procura dominar esta arte de reforçar sua condição, pois ao constantemente justificar-se transforma a causa real de suas dificuldades em injustiças e assim não cresce.

Passa a ser um imã que atrai o que não deve, o que não suporta, o que não dá certo.

Queixa-se de incompetência e é verdade, ela reside no fato de não assumir a responsabilidade de seus problemas.

Reclama muitas vezes da solidão, uma condição frequente, pois se torna energeticamente pesada, difícil de lidar, ao querer que os outros mudem, apontar, criticar e questionar sempre o próximo e não procurar conhecer a si mesma, investindo numa verdadeira MUDANÇA.

Tem a fantasia de que o outro é responsável por sua felicidade.

E como isto não é verdadeiro acontecem a decepção, a infelicidade, o sofrimento, a mágoa, o isolamento.

Chamamos a postura de vítima de “o Coitado de mim” que é uma persona, uma máscara usada para não assumir a realidade da forma como ela se apresenta.

Ela esconde o medo de crescer, de mudar, de assumir emoções, sentimentos, responsabilidades.

Nossas limitações e dificuldades não podem ser transferidas para o outro além disso, não temos controle sobre os relacionamentos, sobre a Vida.

Lidar com esta descontinuidade é o exercício maior para o crescimento emocional e espiritual.

As relações são bilaterais, assim como tudo no Universo é dual.

Somos Nós e tudo o que nos cerca.

Esta inter-relação é a base de tudo.

O "Coitado de mim" usa o outro para justificar as suas limitações e se acomoda na vitimação, usando-a como forma de controle.

É intolerante com a imperfeição, portanto renega o crescimento, pois não tolera cometer erros e viver é aprender por erros e acertos.

Sofre de constante tortura, consumindo-se no que acredita que deve ser, no que o outro deve fazer, no que deve acontecer.

Não aceita, nem respeita a liberdade de escolha, o tempo do outro, o outro como ele realmente é.

O mundo deve ser o que imagina e planeja, mais uma forma de evitar o contato com a realidade.

Acredita nas projeções e desejos que não vive, ou viveu.

A aparente fragilidade do “Coitado de mim” é perigosa, sob esta pseudodebilidade, esta falsa humildade, se esconde uma pessoa orgulhosa, perfeccionista e controladora.

Não se perdoa por não alcançar seu ideal de perfeição e estabelece então uma forma distorcida de comunicação e relacionamento com a Vida.

Ele é bom, os outros é que não prestam.

Ele sofre, porque os outros são errados.

Eles é que tem que mudar.

E o círculo se forma, a vítima sofre, seu sofrimento faz os outros sofrerem, e ficam todos enrodilhados nessa energia.

Esse drama na maioria das vezes é inconsciente.

Esta persona pode começar a ser usada muito cedo, na infância, quando as primeiras relações afetivas são construídas.

Dependendo de suas referências a criança começa a crer que o mundo é muito assustador, e a única maneira de agir aceitável é conseguir a simpatia através da culpa e das rejeições que espelha ou denuncia.

Acredita que não pode confiar nas pessoas, que cedo ou tarde terá decepções.

E por conta desta crença, atrai justamente o que teme.

O Universo responde produzindo a energia esperada e o drama se consolida.

A retomada do caminho do equilíbrio se dá com o empoderamento pessoal, a consciência da própria força para quebrar os elos desta armadilha.

Se posicionar como agente do seu destino, aceitar as diferenças, as dificuldades, crescer.

Sair do passado, focar no presente, entregar o futuro.

As dificuldades da Vida são necessárias ao nosso desenvolvimento. Nossas Almas caminham sempre na direção do aprendizado e crescimento através das diversas experiências, da vivência dos variados papéis.

Somos, filhos e filhas, irmãos e irmãs, pais e mães, avôs e avós e ...
Assim aprendemos, aparamos nossas arestas, lidamos com as frustrações,com as alegrias, as tristezas, as conquistas.

Só podemos crescer naquilo que nos pertence, o caminho da evolução é individual e de competência própria.

domingo, 25 de setembro de 2011

Como se proteger do assédio espiritual?

por Osvaldo Shimoda
Sua proteção é você mesmo quem faz. Por isso, não adianta agir de forma negativa, baixar seu nível vibratório e depois rezar, pedir proteção e ajuda. 
Nenhum mentor espiritual poderá ajudá-lo efetivamente se você desconhece, (ou se conhece a ignora), a Lei da Afinidade (os semelhantes se atraem), uma das Leis Universais.

De acordo com essa lei é seu padrão de energia que irá determinar sua proteção contra os ataques, os assédios espirituais dos seres das trevas. 
Portanto, qual é a qualidade de sua energia? Que energia você irradia? É a energia que você emana que dará, ou não, acesso aos seres das trevas.

Sendo assim, para que o obsessor espiritual prejudique o obsidiado, ambos precisam consentir, tem que haver um laço de reciprocidade.

E qual é esse laço?

É a ira, o ódio, o desejo de vingança, o sentimento de inferioridade, a rejeição, o medo, etc.. 
Nunca é demais lembrar que, da mesma forma que o amor une, o ódio também une.

Quem odeia, pensa o tempo todo na pessoa execrada, tanto quanto quem pensa sem parar na pessoa amada. 
Portanto, esses laços de amor, ou ódio, quando encontram reciprocidade, ou seja, quando duas ou mais pessoas compartilham os mesmos sentimentos, acabam por se unir, atraindo-se mutuamente. É assim que funciona a Lei da Afinidade.

Portanto, o assédio espiritual só ocorre porque o assediado -embora não tenha consciência- de alguma forma está ligado energeticamente ao ser espiritual que o assedia, pois ambos estão sintonizados na mesma faixa vibracional.

Desta forma, se o assediado não mudar suas atitudes, não sair dessa vibração, o assédio espiritual irá continuar. Na maioria dos casos, a relação obsessor e obsidiado é algo secular ou mesmo milenar. 
Por isso, concordo plenamente com a doutrina kardecista quando se refere à reforma íntima, isto é, a necessidade de se fazer um trabalho interior de autoconhecimento para que possamos identificar e mudar -ou pelo menos atenuar- maus hábitos e imperfeições, traços ruins de personalidade, tendências negativas que trazemos de outras encarnações, tais como egoísmo, arrogância, prepotência, maledicência, sentimentos de inferioridade, culpa, baixa auto-estima, autodesvalorização, ganância desmedida, vícios, fobias, etc..

São esses maus hábitos e imperfeições que realimentam, que nos tornam vulneráveis aos ataques dos obsessores espirituais. Vale dar aqui duas dicas, sugestões de como se proteger dos assédios espirituais:

- não criticar ninguém: não apontar as falhas e os defeitos alheios. Pode acontecer daquela pessoa que você mais critica vir a ser a que mais lhe dará apoio num momento mais doloroso de sua vida;

- não julgar, não condenar ninguém: Jesus dizia: "Não julgueis para não seres julgado". O passado nos condena, pois enquanto seres espirituais em evolução, já erramos, cometemos erros, injustiças, prejudicamos as pessoas em outras encarnações com atos que hoje classificaríamos como bárbaros, atrozes, selvagens, mas que na existência passada não víamos dessa forma por falta de esclarecimento, de consciência desperta acerca das Leis Divinas. Então, pelo fato de não termos tido um passado louvável, fica claro que não temos nenhuma moral para julgarmos alguém, e é provável que quanto àquilo que a gente julga, tenhamos feito o mesmo e até pior nas vidas passadas.

Quem garante que isso não tenha acontecido? 
O véu do esquecimento do passado nos impede de sabermos. 
Por isso, é mais sábio e mais prudente não julgarmos; caso contrário, caímos na antiga expressão popular "O sujo falando do mal lavado". 
Em suma, não alimente o mal, a maledicência, pense somente no bem e viva em paz sob a proteção dos bons espíritos. 
Por fim, exercite sempre o perdão.


domingo, 18 de setembro de 2011

Sobre a mediunidade

Bom dia.

Há tempos no caminho do buscador por vezes sou questionada sobre o porque da mediuniade.


Entendo que a condição de médiuns nos traz a oportunidade de crescimento espiritual através do aprendizado, da reforma íntima, da fraternidade e da caridade no sentido mais amplo das palavras.

Compartilho o texto abaixo que considero esclarecedor.

Desejo a todos uma semana de muita Luz, Paz e Alegria.



(...)

" Reunindo-nos, o Instrutor esclareceu:


        - Estaremos com diversos irmãos de ideal que se consagram intensamente ao exercício mediúnico; trata-se de um templo cuja frequência é considerável: centenas de pessoas são atendidas todos os dias, através do passe e da orientação... 

A maioria, infelizmente, está à procura de solução imediata para os seus problemas; raros os que se preocupam em construir para a Vida Eterna. Muitos se aproximam do Espiritismo com o único pensamento de se beneficiar, imaginando que nós, os desencarnados, estamos investidos de mágicos poderes; não sabem que a nossa atuação na esfera física é limitada e se lhes subordina à vontade... 

Todos os homens que anseiam pelo amparo do Mundo Espiritual deveriam estar conscientes de que necessitam, eles mesmos, funcionar na condição de médiuns, no equacionamento de suas dificuldades, no entanto, simplesmente oram, formulando as suas petições, e permanecem de braços cruzados... 

Por vezes, sequer se dispõem a modificar a disposição íntima para facilitar-nos a inspiração. 

Não compreendem que o pensamento é a única alavanca com que contamos agora no sentido de auxiliá-los a remover os obstáculos e não nos oferecem ponto de apoio mental... 

Adquirem livros esclarecedores, mas não os leem e, se os leem, não meditam sobre os seus ensinamentos."


Livro:  Liceu da Mediunidade
  Carlos A. Baccelli, pelo Espírito Paulino Garcia
              LEEPP – Livraria Espírita Edições Pedro e Paulo

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Perfeição e Paz



Bom dia a todos.
Para reflexão...
Luz, Paz e Alegria sempre!

PERFEIÇÃO, por Shmuel Lemle

"Nosso propósito na espiritualidade não é alcançar a perfeição.
O objetivo é se esforçar para chegar lá.
Não é certo pensar que quando alcançarmos a perfeição o mundo irá mudar.
O mundo irá mudar quando o número suficiente de pessoas estiver se esforçando para atingir a perfeição.
Todos nós reagimos e temos momentos egoístas.
Não somos anjos.
Mas, se simplesmente tivermos consciência disso e nos esforçarmos para não reagir, o simples ato de se esforçar e de ter algum sucesso já ajuda a revelar a Luz e melhorar a situação espiritual do mundo inteiro.
Se tivermos mais sucessos que insucessos, já  está ótimo.
No dia de hoje, invista um esforço adicional em ser proativo.
Se alguém ou alguma coisa deixar você irritado, tenha paciência e tolerância.
Em vez de reagir, respire fundo."

sábado, 23 de julho de 2011

Vá com Deus, irmãzinha.


Vá com Deus, irmãzinha.
As vezes é difícil ficar por aqui, fica pesado, principalmente para as Almas mais sensíveis.
Fico triste por você, mas não considero uma vida desperdiçada como alguns falam, viver nunca é desperdício, é benção, aprendizado, oportunidade.
Se não conseguimos, voltamos mais fortes, conscientes e esperançosos.
Sabe irmãzinha, acho que voce perdeu a esperança e com ela a força para continuar.
Um bom amigo da espiritualidade me disse um dia: "Deus por vezes chama precocemente seus filhos, não para punir, mas para poupar."
Este foi meu sentimento quando soube da sua passagem.
Seu corpo estava muito machucado, sua Alma também.
O Pai amorosamente te recebe.
Assim que se faz com uma filha que não está bem, precisamos interferir, acolher, orientar.
Não vou falar sobre as drogas, é outro assunto, não menos importante.
Hoje quero estar consigo, através das minhas preces e do meu sentimento de irmã, a sua dor é a minha.
Receba o meu amor e esperança de que os Amigos espirituais cuidem de você até o recomeço.

"Minha alma tem o peso da luz. Tem o peso da música. Tem o peso da palavra nunca dita, prestes quem sabe a ser dita. Tem o peso de uma lembrança. Tem o peso de uma saudade. Tem o peso de um olhar. Pesa como pesa uma ausência. E a lágrima que não se chorou. Tem o imaterial peso da solidão no meio de outros."
(Clarice Lispector)

terça-feira, 21 de junho de 2011

Para refletir



Quem faz essas mudanças?

"Disparo uma flecha à direita cai à esquerda.


Cavalgo atrás de um veado e acabo perseguido por um servo.


Conspiro para conseguir o que quero e termino na prisão.


Cavo buracos para trapacear os outros e caio neles.


Devo suspeitar do que quero."

Rumi, místico sufi do século XVIII

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Lágrimas da Tempestade

Clipe produzido pela TV ZOOM Nova Friburgo a partir da música "Lágrimas da Tempestade" criada por Marcus Viana (autor da trilha sonora de Pantanal, O Clone, Olga, a Casa das 7 Mulheres, etc.) como um presente para Nova Friburgo. 

Foi uma enorme tragédia e as marcas estarão presentes ainda por muitos anos... 

O vídeo procura dar a idéia de reconstrução, de vida, de valores elevados, de solidariedade, de entrega... 

Parabéns e muito obrigado aos voluntários, às pessoas que resgataram vidas ou corpos, que nos ajudaram a limpar a cidade e a retomar o dia-a-dia! 

Vocês são heróis!!!

Esta música vai encher nossos corações e nossa cidade com muita luz.

Abraços,

Rodrigo Panaro
Produtor
SBT - Programa Atual / TV ZOOM







Emocionante o vídeo produzido pelo Rodrigo Panaro.
É isto aí mesmo.
Esta tragédia revelou o melhor lado das pessoas.
Após o nosso resgate, três dias depois da tempestade, imediatamente as auxiliares de enfermagem dos hospital Raul Sertã conseguiram roupas, toalhas e sapatos para nós. 
Não tomamos banho lá porque racionavam a água.
A seguir os médicos Liliane e Falcão que conhecíamos de vista nos acolheram em sua casa, onde tomamos o primeiro banho, de água da piscina,
Roupa limpa, cama, comida e principalmente colo e solidariedade. 
Eramos conhecidos, não tínhamos intimidade, mas estavamos dormindo na cama de seus filhos, partilhando de sua vida familiar.
E aí é claro, pintou uma grande amizade. 
Não dá para ser diferente, a pessoa que te ampara, cuida, socorre, imediatamente passa a morar naquele lugar especial que se chama coração.
Falcão colocou seu xodó uma Hilux novinha na lama e rodamos por Nova Friburgo indo a lugares nunca imaginados, descobrindo bairros que ainda não tínhamos ouvido falar.
Muita tristeza, muita perda, muita dor.
Muita gente legal, disponível 24 horas por dia.
Não estou mais com eles, os filhos voltaram das férias e o apartamento não é tão grande.
Todo o dia eles ligam perguntando se não vou para lá, e mais uma vez digo que estou bem.
E estou, aqui no consultório tenho mais liberdade para telefonar, usar a Internet, descansar.
Com certeza um pedaço do meu coração ficou com eles. 
São estes pedaços que deixamos nos corações dos amigos que formam esta corrente especial de amor. 
Acho que o verdadeiro amor é assim, não é egoísta, tampouco narcisista. 
Afinal tudo nos relembra que SOMOSTODOSUM.
Amar a quem admiramos, aos familiares, a família é mais fácil. Amar a quem não conhecemos é um exercício de fraternidade e solidariedade.
E isto aconteceu aqui, lindo demais!!!!!!!!!!!!!!!!
E o lado ruim? 
Também teve, mas não quero me ligar nisto. 
Sabem porque?
É energia antiga. 
O tempo é de renovação, de valorizar o que é bom, belo.....
Diariamente agradeço e abençoo a minha vida, meus familiares, meus amigos. 
Nos últimos dias o amor deles me sustentou e sem o seu auxílio teria sido muito difícil continuar.
Perda? 
Não perdi. Ganhei muito!!!
Micaela, minha vizinha que resgatei, uma menina de 6 anos me disse assim que o helicóptero chegou para nos buscar (ela foi primeiro com a mãe, eu segui na segunda viagem):
- Dona Beth, depois de tudo isto seremos amigas para sempre, não é?
Respondi com lágrimas nos olhos:
- Sim, Micaela amigas para sempre......
Não se a verei de novo mas a lembrança será eterna.


Helicóptero da Polícia Militar que nos localizou e transportou as primeiras pessoas do grupo a serem resgatadas, Viviane, Rosi, Luiz e Micaela que fizeram questão de tirar esta foto com o oficial responsável. 
Nós seguimos depois em helicópteros do Bope e da Marinha.


terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Fotos do sítio do Beija-flor, em Córrego Dantas,Nova Friburgo após a tromba d'água do dia 11/01/2011

"Não há dor que dure para sempre.
Após a tempestade vem sempre o sol".
 
Milton Erickson





O salão do círculo de mulheres, a única parede que restou segurou as águas. Observem a cachoeira que as pedras deslocadas formaram atrás da construção.



                            Vista da casa dos meus vizinhos, usamos uma corda para retirá-los,                        o rio subiu até o alto da escada.


Destroços do dormitório.


Destroços do salão.


Vista da varanda, onde havia uma mata.


                                 Vista da lateral da casa, destruição de parte da varanda dos fundos,                                da lavanderia e do banheiro externo.


Vista da mata lateral. 




                          Vista da janela do quarto de Lucas,o impacto da tromba d'água quebrou                      os vidros deste lado da casa.

  

Onde havia o pátio com o local da fogueira.


Frente da casa.



Varanda da frente.



Vista da varanda dos fundos e do acesso ao dormitório.


Destroços do salão.





Outra tomada da mata.



Vista de onde havia o pomar e o galinheiro.


SÍTIO DO BEIJA-FLOR  - antes das chuvas




Frente e mata lateral, nunca tiramos uma árvore



Jardim e garagem em construção


Salão de cursos e pátio com mandala para a fogueira.


Bruce e Zeca , vista do jardim e lateral. Conseguimos salvar os cinco cahorros.





segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

NOTÍCIAS DE NOVA FRIBURGO



Queridos amigos e amigas.

Estamos bem.

Nunca pensei que passaria por uma experiência como esta.

Na noite de terça-feira, dia  11 de janeiro, tivemos um temporal com muitos trovões e descarga de raios de dois em dois minutos.


Choveu em duas horas 290 ml.

Da minha casa no sítio ouvia o  barulho terrível da ventania e da chuva, ouvimos gritos dos vizinhos e conseguimos acolher uma família próxima, quando clareou o dia percebemos que o rio havia subido até a varanda de  minha casa e toda a vegetação em volta estava destruída.

Mudou toda a topografia,  a tromba d'água arrastou a suite onde morava meu filho (estava comigo em casa) que ficava fora da casa, o salão de cursos, galinheiro, horta, tudo. Sobrou somente a casa onde estavamos.

Saimos e conseguimos resgatar com cordas uma outra família ilhada pelas águas do rio.

A estrada de acesso estava destruída.

Na realidade o rio retomou seu curso natural levando tudo o que havia no caminho. Estimo que só na minha rua tenham morrido  mais de 30 pessoas.  Até agora são dez mortes confirmadas e muitos desaparecidos. As casas do lado esquerdo do rio não existem mais.

Tivemos que subir a montanha  passando pelas barreiras e acessar um sítio que estava fechado. Invadimos e acomodamos as crianças, fizemos um grande SOS com lençóis brancos na clareira ao lado, era o único lugar onde poderia pousar um helicoptero, levamos comida, velas e documentos deixando tudo para trás.

Muitos animais mortos, conseguimos localizar mais uma família ilhada pelas águas e barreiras e já pedimos aos bombeiros para retirá-los pois não conseguimos chegar.

Durante todo o tempo  ficamos gritando e sinalizando para sermos vistos até que fomos resgatados ontem no fim da tarde, por um helicóptero da polícia militar.

Do alto pude ver o estrago, meu bairro Córrego Dantas acabou, a enchente, a queda de barreiras, os entulhos e os carros arrastados obstroem o acesso pela estrada. A maioria das casas ruiram.

A visão da cidade é aterradora.

O Hospital Raul Sertã está funcionando como hospital de guerra pacientes sendo atendidos na recepção e corredores, graças a Deus os médicos são incansáveis, inclusive os aposentados e médicos voluntários que estão na cidade.

O Hospital São Lucas perdeu parte de seu prédio, tendo que transferir pacientes para o Raul Sertã.

Na cidade andamos com lama até o joelho, as retroescavadeiras estão trabalhando direto, helicopteros e ambulâncias também.

Eu e minha família estamos com a roupa do corpo e sem saber quando poderemos voltar em casa, nem se a casa é segura.

Mas, graças ao Pai Celestial e Mãe Divina estamos bem contando com o apoio de amigos que estão nos abrigando.

Não posso retirar meu carro que seria muita ajuda
neste momento e não posso voltar ao meu bairro enquanto os bombeiros e a defesa civil não abrirem passagem.

Estou ajudando minha irmã no hospital, hospedada perto da base da Polícia Militar onde podemos ter acesso as notícias.

Amanhã junto com o batalhão florestal  tentarremos resgatar os cachorros, hoje preciso encontrar um lugar para acomodá-los.

Estamos precisando de doações de água potável, alimentos já prontos tipo sucos, leite, biscoitos,  colchonetes, roupas de cama ...

Os telefones fixos estão voltando  aos poucos e os celulares também.

As perdas materiais não me incomodam, mas a sensação de impotência e a perda dos amigos fazem doer  meu coração.

Agradeço o carinho de todos, saber que voces estão aí e que rezam por nós é muito bom.

O amor de vocês é o meu alento.

Aviso aos meus alunos e pacientes  que não sei quando poderei retornar as minhas atividades.

Por enquanto meu lugar é aqui e que Deus nos ajude nos poupando de mais chuva para que possamos trabalhar.

Infelizmente o que a televisão noticia não é 20% do que realmente aconteceu, estimamos mais de 800 mortos.

Mandarei mais notícias depois.

Mais uma vez obrigado. 


Nova Friburgo, 5a. feira 13 de janeiro de 2011